terça-feira, 15 de março de 2011

Bairro da zona leste é motivo de disputa entre catadores de lixo



Paulo mostra feliz garrafa de cachaça importada que encontrou no meio do lixo.
 
Jardim Nossa Senhora do Carmo, também conhecido como Morumbi da zona leste da capital, se tornou um bairro muito disputado entre os catadores de lixo devido as casas de alto padrão e qualidade de vida dos moradores. Em dias de coleta de lixo é intensa e frenética a corrida desses garimpeiros, em busca não de garrafas pets, latinhas de alumínio, plásticos, vidros, mas sim, de objetos de maior valor, como produtos eletrônicos, relógios, pulseiras e até filmes em DVD , CDs originais de todos os gêneros musicais, tudo em perfeito estado. “Eu já encontrei até TV boa no lixo. E hoje como você pode ver, vou levar esses filmes para minhas filhas assistirem, porque achei aqui também esse aparelho de DVD, que a meu ver está funcionando. Neste bairro só tem coisa boa no lixo”, afirmou o catador Paulo Sérgio, 51 anos. Ele conta que por dia consegue recolher em média 200 quilos de material, que poderiam parar nos bueiros e, aumentar ainda mais os impactos ambientais. No entanto, além de garantir o sustento da família, Paulo ressaltou que exerce um importante papel de responsabilidade ambiental. “Existe um código de ética entre nós catadores. Cada um tem de conquistar sua rua, seu espaço, sem invadir o território um do outro e, ainda tem que deixar o lixo arrumado para o caminhão levar. Caso isso não aconteça, é feita uma reunião e esta pessoa é obrigada a procurar outro bairro, porque os donos dos ferros-velhos não compram material dela”, encerrou Paulo.

Volta ao início