quarta-feira, 16 de março de 2011

População de Sapopemba ganha Centro de Referência Especializada de Assistência Social


Foto: Carlos Cobra
Moradores, autoridades e convidados comemoram o mais novo Centro em Sapopemba.

O Prefeito Gilberto Kassab e a Secretária Municipal de Assistência Social, Alda Marco Antonio inauguraram Centro de Referência Especializado de Assistência Social –Creas na

região de Vila Prudente/Sapopemba, Zona Leste de São Paulo na manhã desta segunda-feira (14) com o objetivo de beneficiar a população com situação de vulnerabilidade social. O prédio localizado no distrito de Sapopemba possui 182 m² de área construída e tem capacidade para receber 80 famílias por mês.
O Creas é um serviço especializado no atendimento às famílias e indivíduos que sofreram violações como, por exemplo: violência doméstica, exploração sexual, trabalho infantil, entre outros.
Ele dispõe de três salas de atendimento individual e uma para atividade em grupo, sala de apoio técnico, fraldário, banheiro para deficientes, além de um espaço lúdico para entreter as crianças que acompanham os pais.
Uma equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e advogados será responsável pelo acolhimento dos usuários, bem como o encaminhamento aos serviços da rede socioassistencial, saúde e educação.
Além disso, o serviço funciona articulado com órgãos de defesa dos direitos, como o Ministério Público, Conselho Tutelar, Vara da Infância e da Juventude e Defensoria Pública.

Foto: Carlos Cobra
Prefeito e secretaria Alda Marco Antonio entregam o Creas á comunidade de Sapopemba.

O Creas Vila Prudente está instalado na Rua Manoel de Arruda Castanho, 145 - Sapopemba e atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.
Outras informações pelo telefone (11) 2143-8401.

“A população já não agüenta mais essa história de se inaugurar equipamentos públicos só para a imprensa ver e depois de alguns meses e até mesmo semanas esta tudo sucateado e jogado a própria sorte.
“O maior desafio da Cidade é melhorar a vida das pessoas, sobretudo das mais humildes.
Ai o que me intriga é o seguinte se o Prefeito senhor Gilberto kassab desse uma Educação de qualidade, um atendimento medico de qualidade, creches para que essas mães carentes pudessem trabalhar ,isso não ajudaria essas famílias carentes ?” Afirmou Carlos Cobra.

Moradores reclamam de área abandonada e descarte irregular de lixo


Lixão acumula ratos, baratas, insetos e também animais mortos


                                  
Moradores do Jardim Colorado, Suzano, extremo leste da capital paulista há 30 anos estão sofrendo com o abandono de uma área com capacidade para construir pelo menos três estádios de futebol.  O local se transformou em descarte irregular de lixo, entulhos e até cadáver humano já foi encontrado no meio do mato. “A gente paga IPTU para ter melhorias, mas o prefeito só promete e nada faz, nessa área era pra ser uma praça, mas virou ninho de rato e cobra”, reclama Maria do Carmo, 78 anos e moradora a 50 no bairro. O Diário deu um giro por todo o Jardim Colorado, e descobriu que há muitas áreas menores, que também são utilizadas como descarte irregular para todo tipo de lixo, cachorro morto, entre outros. “Eu já cansei de pagar do meu próprio bolso para limpar essa esquina, mas não adianta. No outro dia está cheio de lixo de novo. Já reclamei na Prefeitura, mas o prefeito não está nem ai  porque não é de seu interesse”, afirmou Gilmar da Gama, 44 anos e morador há 15 no bairro. Segundo outros moradores, a imensa área pertence a uma transportadora de nome Crajé. Outras reivindicações foram relatadas, inclusive melhorias na saúde e na segurança. “Nosso bairro está abandonado. A saúde é precária, não tem médicos suficientes para atender o povo e, pra quem mora lá em baixo no Maetê, a situação ainda é pior”, desabafou uma moradora antiga que preferiu não se identificar. A Rua Jeca Tatu também é outra preocupação devido ao tráfego intenso de veículos e, por falta de sinalização e lombada, já houve vários atropelamentos e as vítimas geralmente são pessoas idosas, segundo relato dos moradores. O Diário entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura e em nota eles informaram: “A grande área relatada pela reportagem é propriedade particular que pertence a uma empresa de empreendimento imobiliário. De acordo com o Departamento de Fiscalização de Posturas, os responsáveis foram notificados no dia 1º de dezembro de 2010 para que providenciassem os serviços de capinação, remoção do entulho, limpeza, construção de muro e contrapiso da calçada, necessários para solução do problema que aflige os moradores do entorno. Como não cumpriram o prazo para limpeza a empresa será autuada. A Prefeitura pede também a colaboração dos moradores para que, ao presenciar alguém jogando lixo ou entulho em áreas públicas ou particulares (terrenos baldios), denunciem ao Departamento de Fiscalização de Postura, nos telefones 4747-8902 ou 4745-2083 (Atendimento ao Cidadão). A multa para quem for flagrado neste tipo de infração é de 1.000 UF's, o que dá R$ 2.131,80, em valores atuais”.

Volta ao início