terça-feira, 26 de junho de 2012

26 de junho de 2012


    Markinhos Olliveira  já é o mais novo expoente da música brasileira


Foto reprodução do facebook do artista
                                                        





Influenciado pelo pagode pop romântico, o cantor já é a maior atração aos finais de semana nas casas de shows e bares de São Paulo.




O Pagode é um dos ritmos mais populares do Brasil, tendo a cidade do Rio de Janeiro como principal berço, não demorou muito para atravessar as fronteiras entre outras capitais brasileiras e, a partir da década de 1990 com a chegada dos novos grupos como: Raça Negra e Negritude Júnior, ambos de São Paulo, Só pra Contrariar de Minas Gerais e muitos outros, a cidade maravilhosa deixou de ser o celeiro exclusivo deste gênero. Muito embora, o samba já embalava os corações brasileiros na voz de Cartola, Noel Rosa e Moreira da Silva no início do século XIX.



          Das rodas de samba e pagode surgiram grandes nomes da música nacional tais como, Alcione, Clara Nunes, Beth Carvalho, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Almir Guineto, entre outros. Sem poder ficar de fora, a Bahia também entrou neste embalo e com seu tempero próprio, deu ao pagode outra sonoridade e irreverência e, dessa mistura nasceram bandas como: Harmonia do Samba, É o Tchan e Terra Samba, que conquistaram inclusive, o mercado internacional. Já no início dos anos 2000, uma nova tendência (comercial) musical começa acontecer, a ruptura dos grupos: Negritude Júnior e Só pra Contrariar, abre espaço para novos rumos e uma nova etapa nas carreiras de Netinho e Alexandre Pires, agora como artistas solo.
Foto: Edinho Santos
Markinhos Olliveira e grupo Sentimento Maior se apresentando no Shopping Aricanduva


            Isso fez com que novas possibilidades e oportunidades surgissem na vida de outros artistas como é o caso do pagodeiro Markinhos Olliveira. Assim como Alexandre Pires, ele nasceu numa família de extrema musicalidade e cresceu num ambiente movido pela música Gospel. Aos 11 anos de idade tocava violão e bateria na igreja onde seus pais e irmã mais nova congregavam. Na adolescência resolve experimentar outros estilos musicais e, influenciado pelo tio Edinho Santos, conhece seu primeiro professor de cavaquinho e banjo, Luciano Machado (Mestre do Bandolim) que viu no pequeno músico um grande potencial artístico. Não demorou muito para Markinhos Olliveira iniciar sua trajetória no universo do samba e do pagode. Passou por vários grupos até chegar ao que ele considera sua maior e mais rica experiência, se tornar integrante de um grupo já consagrado: Grupo Numa Boa e já gaha o reconhecimento de artistas ícones do cenário da música brasileira.

Foto: Marcos Santos
Grupo Negritude Junior recebendo Markinhos Olliveira em seu camarim


            Essa parceria trouxe amadurecimento artístico e permitiu que o músico conquistasse seu espaço nos palcos das diversas casas do gênero na capital paulista onde nasceu. Com o final do grupo, Markinhos Olliveira descobre seu mais novo talento. Além do carisma como cantor e instrumentista, resolve compor suas próprias melodias. Com um estilo de pagode pop romântico, nasce seu primeiro trabalho, o CD que leva o título da sua primeira música “Eu vacilei”. Com selo independente, porém muito promissor, o artista sonha em conquistar os corações brasileiros e consolidar sua carreira no mercado nacional.  






Shows: Edinho Santos (11) 9492-2650 e Willyan Santos (11) 7639-3529

Blog: markinhosolliveira.blogspot.com – facebook: markinhos santos de olliveira

Assessoria de Imprensa: Marcos Santos - (11) 9268-2288 e 3229-4432
e-mail: marcos-santos@folha.com.br





Volta ao início