segunda-feira, 18 de maio de 2015

Movimentos contra corrupção mobilizam autoridades, intelectuais e sociedade civil na ALESP

Por Marcos Santos

Em sua terceira edição realizada nos  dias 15 e 16 de maio na ALESP-zona sul de São Paulo o movimento NAS RUAS CONTRA CORRUPÇÃO cuja porta-voz e organizadora    Carla Zambelli  com outros movimentos promoveram o III Congresso Contra Corrupção, no qual reuniu diversas autoridades e convidados, para discutirem sobre o Brasil atual e sua ampla e acelerada deterioração causada por vários crimes de corrupção em detrimento a diversos setores da sociedade. 

           Imagem: Marcos Santos
                          Convidados celebrando o Hino Nacional Brasileiro na abertura do segundo dia do congresso.

Foto: Marcos Santos
De um ano para cá vários grupos têm se formado no país com o objetivo de atacar esse câncer que corrói a sociedade chamado corrupção.  De forma independente e apartidária o movimento citado acima, aliás, é um dos maiores grupos populares do Brasil, demonstrou em mais uma palestra realizada na ALESP- Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo que, não se trata de mais um grupo cujo ideal é apenas aglutinar pessoas na Avenida Paulista gritando “FORA DILMA” sem ter nenhuma estratégia que efetivamente possa mudar o quadro da atual situação política,  mas acima de tudo, traçar metas envolvendo toda a sociedade, estudiosos, filósofos, juristas, artistas, cientistas políticos entre outros.
Imagem: Marcos Santos
Professor Marco Antonio Villa falando que a Dilma está mais perdida do que o Lula em uma biblioteca.

Logo após a abertura ao som do Hino Nacional Brasileiro, temas como: Operação Lava a Jato, enriquecimento ilícito de políticos e parentes, reforma política, impeachmant da presidenta Dilma Rouseff, Bolsa Família foram tratados por especialistas com ampla participação da plateia. O professor e comentarista do jornal da Cultura e rádio Jovem Pan, Marco Antonio Villa disse que o PT – Partido dos Trabalhadores contribuiu para o atraso do Brasil devido seu projeto criminoso e autoritário de poder e ressaltou: “A nossa tradição política não se inclui dentro de um espectro ideológico de direita ou esquerda, trata-se de uma tradição de ditadura”.  O professor declarou ainda que o Lula é simpatizante de Hitler de acordo com a entrevista dada à revista Playboy em 1978. 

Já o professor e filósofo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Fernando Schuler, imagem ao lado, argumenta que existe no Brasil de hoje um novo liberalismo, porém difuso já que não se defende políticas de combate a pobreza. Para Schuler o programa de governo Bolsa Família não é a solução para a erradicação da extrema pobreza que hoje atinge 40% da população, mas sim um método paliativo que pode acabar a qualquer momento. “Não sei se isso é certo ou errado ou se havia alternativas mais inteligentes, mas é muito estranho atribuir ao programa a falsa ideia de que está resolvido o problema de redução da pobreza com 50 milhões de pessoas que ainda dependem do Bolsa Família. Não se construirá um pensamento brasileiro sem antes considerar que somos um país profundamente marcado pela pobreza”. Observou Fernando Schuler.

Para o filósofo pouco importa se o governo é de direita ou de esquerda e conclui que o mais importante é termos um estado eficiente, mais democrático que funcione e garanta, portanto, à toda população o acesso a serviços de qualidade  permanentes  em todos os setores, mas, principalmente, na educação e citou como exemplo o PROUNI do PT definido-o como um grande programa de voucher que deveria ser estendido também aos ensinos públicos desde o fundamental.

                                                               Foto: Marcos Santos
     
Ao Ministério Público e Polícia Federal coube-lhes responder dentre vários assuntos sobre a possibilidade de investigação no caso de enriquecimento ilícito de Fábio Luiz Lula da Silva, o Lulinha, filho do ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva, que supostamente seria sócio majoritário do grupo que comanda a Friboi -JBS, considerada uma das maiores empresas do ramo alimentício do Brasil, entretanto, o promotor de justiça Roberto Levianu ressaltou que precisa haver uma denúncia formal e material que comprove o crime, porém, contrariando o promotor, o professor de pós-graduação da FGV, jornalista e advogado Jean Menezes de Aguiar observou que o MP tem o dever total autonomia para investigar independente de denúncia formalizada por terceiros. Já o delegado da Polícia Federal, Edson Garutti afirmou que o procedimento de investigação também depende de denúncia e provas concretas e disse que a PF precisa de maior autonomia enquanto órgão federal  no exercício dos seus trabalhos.   

                                                        Foto: Marcos Santos
                 Da esquerda para direita,  delegada da PF Tânia Pereira, delegado Edson Garutti e Carla Zambelli

Todos os temas tiveram muita relevância e foram amplamente debatidos entre os palestrantes e plateia, entretanto, o ponto mais alto deste III Congresso Contra a Corrupção aconteceu por volta das 18h quando o advogado especializado em tecnologia da informação e direito econômico pela PUC/SP  Jun Takahashi assumiu a bancada e trouxe informações reveladoras sobre o sistema de votação no Brasil, sobretudo, os apontamentos técnicos que comprovam que há fraudes nas urnas eletrônicas devido sistema falho de informática. Por meio de projeções em telões, Takahashi explicou minuciosamente que a urna UE 2009 não oferece nenhuma credibilidade quanto o seu funcionamento e, destacou que a Argentina país vizinho tem o melhor e mais confiável modelo de votação do mundo e exibe cédula que comprova a veracidade e autenticidade do voto do eleitor ao seu candidato favorito. A empresa responsável pelo sistema das urnas é a Smartimatic e detém o controle total das chaves de segurança das urnas outorgada pelo Supremo Tribunal Eleitoral-TSE. 


Foto: Marcos Santos
                                  Jun Takahashi mostrando cédula que usada em eleições na Argenteina

                                                                                                                  



                                            
Foto: Marcos Santos
Foto: Marcos Santos


Após aproximadamente 18 horas de intensos debates  entre os dias 15 e 16, o movimento decidiu que irá traçar novas estratégias no combate a corrupção com base em tudo que foi discutido e proposto pelos interlocutores, inclusive poderá contar com o apoio de todos que participaram deste evento sem exceção

           Foto: Marcos Santos
                        Da esquerda à direita: Dr Jean Menezes de Aguiar, Carla Zambelli, Marco Villa e Dr Fernando Schuler.
                em posição de reverência ao Hino Nacional Brasileiro.
                                                                         
                                                                      

                                                            Foto: Marcos Santos




      Delegado da Polícia Federal Edson Garutti ouvindo pergunta da plateia.

   Foto Marcos Santos





                                                                                                     Foto Marcos Santos
                                                     Carla Zambelli-organizadora do evento mediando perguntas dos convidados.



              

                                                                      Convidado participa fazendo perguntas aos palestrantes
                                                                                                   Foto: Marcos Santos
  
               Acesse os vídeos abaixo e confira alguns momentos da reunião.



                                   III Congresso Contra a Corrupção dia 15/05/2015



                  

                   

                          III Congresso Contra a Corrupção - 16/05/2015                                                                                                                     



                                                     



Carla Zambelli fala sobre a criação do Estatuto Popular Contra a Corrupção


Foto: Marcos Santos
Carla Zambelli ganha livro do Juiz Alexandre Cunha Filho



Galeria de imagens















Volta ao início